fbpx

Burnout em estudantes: é possível?

É possível acontecer um burnout em estudantes?

Segundo o dr. Pablo Vinicius, neurocientista e médico psiquiatra especialista em Medicina do Sono, é possível que estudantes tenham sintomas semelhantes ao da Síndrome do Burnout, embora ela seja mais relacionada, em sua essência, ao trabalho.

“A sobrecarga nos estudantes que se preparam para concursos pode levar a sintomas típicos de Burnout”, explica o médico.

Mas, o que é o burnout? Como evitar que o burnout em estudantes aconteça?

Conversamos com o dr. Pablo sobre essas e outras questões relacionadas ao cansaço nos estudos, para que nenhum futuro servidor passe por nenhum tipo de esgotamento.

É possível que estudantes tenham sintomas semelhantes ao da Síndrome do Burnout

É possível que estudantes tenham sintomas semelhantes ao da Síndrome do Burnout, mais relacionada ao trabalho (Foto: Freepik)

O que é burnout?

O neurocientista Pablo Vinicius explica que a Síndrome do Burnout foi descrita pela primeira vez pelo pesquisador alemão Freudenberger, em 1974, para a compreensão de quadros clínicos relacionados ao trabalho.

Na época, o termo não foi levado a sério, pois acreditava-se que um bom funcionário era aquele que aguentava todo tipo de pressão sem reclamar.

Com o crescimento dos casos de esgotamento físico e emocional relacionados ao trabalho, principalmente nas últimas décadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) incluiu na Classificação Internacional de Doenças (CID -11) a Síndrome de Burnout como um fenômeno ocupacional.

De acordo com a CID-11, “Burnout é uma síndrome conceituada como resultante do estresse crônico no local de trabalho que não foi gerenciado com sucesso“.

A Síndrome do Burnout três dimensões:

  • Sentimentos de exaustão ou esgotamento de energia
  • Aumento do distanciamento mental do próprio trabalho, ou sentimentos de negativismo ou cinismo relacionados ao próprio trabalho
  • Redução da eficácia profissional

Dr. Pablo enfatiza que, para o diagnóstico dessa síndrome, os sintomas precisam estar relacionados ao contexto ocupacional. Ela não deve ser aplicada para descrever experiências traumáticas em outras áreas da vida.

Leia também: Como minimizar os efeitos do burnout no trabalho

A Síndrome de Burnout pode ser caracterizada em três dimensões

O que fazer para evitar um burnout?

De acordo com o especialista, a melhor forma de se evitar é através do autoconhecimento. Isso começa na escolha profissional. Para o futuro servidor, qual concurso ele vai prestar ou em qual área deseja ingressar.

“Quando fazemos o que não gostamos, temos uma chance maior de entrar em esgotamento, pois sempre será um sacrifício sair de casa para trabalhar”, descreve Pablo Vinicius.

Por isso, antes de fazer concurso, é importante analisar bem as áreas e escolher quais cargos têm mais a ver com você, de acordo com sua personalidade e afinidade,.

Dinheiro, status social ou a estabilidade que o serviço público proporciona não garantem felicidade.

Estar atento ao estilo de vida também é muito importante. Uma boa noite de sono pode evitar o estresse no dia a dia. Seu acúmulo pode causar até mesmo paralisia pelo esgotamento.

Boa alimentação e atividade física também são importantes

A psicoterapia é uma ferramenta poderosa para o gerenciamento do estresse, trabalhando prioridades, organizando a rotina, identificando as causas de estresse mais comuns e as formas de lidar com eles, completa o médico.

O que fazer para se recuperar de um burnout?

Não se deve considerar burnout bobeira ou preguiça. Ele deve ser tratado como qualquer outra doença, ou seja, precisa de apoio médico, psicológico e social.

Há ainda pacientes que desenvolvem depressão, pânico e insônia, necessitando de tratamento psiquiátrico medicamentoso.

É muito importante que os familiares estimulem uma rotina saudável de vida, como prática de exercícios físicos, sono regular e dieta equilibrada.

O apoio psicológico também é fundamental para aliviar o sofrimento e buscar novas direções na vida.

É possível burnout em estudantes?

Dr. Pablo explica que, na teoria, para dar o diagnóstico da Síndrome de Burnout, os sintomas precisam estar relacionados ao trabalho. Ainda assim, os sintomas também podem aparecer em estudantes.

A sobrecarga pela qual passam os futuros servidores também pode resultar nessas sensações. Os sintomas do Burnout são:

  • Esgotamento físico e emocional
  • Insônia
  • Irritabilidade
  • Dores de cabeça
  • Apatia
  • Desânimo
  • Desesperança
  • Isolamento social
  • Baixa autoestima
  • Tristeza excessiva

Como evitar um burnout em estudantes?

Para evitar um burnout, o principal é ter uma rotina de vida saudável. Ter uma boa noite de sono é a ferramenta mais importante na prevenção do esgotamento físico e emocional.

É nas fases mais profundas do sono, que ocorre a reparação de todas as funções do organismo e a preparação para mais um dia. Quem dorme pouco – ou mal – está mais vulnerável ao adoecimento físico e mental.

Além de noites bem dormidas, a prática de atividades físicas, uma dieta equilibrada e a meditação são armas poderosas contra o Burnout.

Síndrome de Burnout

Dicas de como ter uma rotina de estudos saudável

Você se sente esgotado ao estudar? O neurocientista Pablo Vinicius recomenda a quem estuda:

  • Ter sempre a mesma hora de dormir e acordar. Seu cérebro gosta de rotina.
  • Dormir a quantidade de sono que te faz sentir descansado. Nunca trocar o sono por outra atividade. Sono é inteligência. Sono é aprendizado.
  • Evitar alimentos estimulantes em excesso, como os ricos em cafeína (café, chá preto, chá mate e cacau são exemplos).
  • Evitar alimentos ricos em açúcares e farinha branca.
  • Beber muita água – dois a três litros por dia.
  • Fazer no mínimo 150 minutos de atividades físicas por semana.
  • Fazer ciclos de estudo curtos, de no máximo 40 a 50 minutos, descansando entre os blocos.

Gostou das dicas? Lembre-se que, ao identificar os sintomas descritos, procure ajuda médica!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *