fbpx

5 semelhanças entre Olimpíadas e concursos públicos

Com o início dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, os atletas ficam em muita evidência nas competições televisionadas. Mas sabia que a jornada de quem está nas Olimpíadas se assemelha em alguns aspectos a de quem estuda para concursos públicos?

Isso porque todos admiram os atletas durante as competições. No entanto, poucos param para pensar nos sacrifícios que tiveram que fazer para estar ali, na jornada árdua de treinos e em tudo que precisaram abrir mão.

O mesmo vale para os servidores públicos. Muitas vezes, conquistar o cargo dos sonhos e a estabilidade requer dizer alguns nãos em prol dos estudos. Mas o resultado vale a pena.

Por isso, listamos 5 semelhanças entre Olimpíadas e concursos públicos. Será que você se identificará com alguma delas?

olimpíadas e concursos públicos

Assim como os atletas, os futuros servidores também precisam abrir mão de algumas coisas em prol do seu objetivo final (Foto: Freepik)

1# Preparação em horários inusitados

Como Tóquio, no Japão, tem horários praticamente inversos com o Brasil, os atletas precisaram se acostumar a um novo fuso para entregar a sua mais alta performance nas competições. Ou seja, no horário que estariam dormindo, precisam estar muito bem acordados e dispostos.

Muitas vezes, o futuro servidor precisa encontrar horários inusitados na sua rotina para estudar. Isso não significa ficar sem dormir, pois o cérebro precisa de descanso para ter um bom rendimento. Mas sim enxergar a própria rotina sob uma nova ótica.

Por exemplo, quando estava se preparando para seu concurso, a delegada da Polícia Civil do Rio de Janeiro e coordenadora da área de Segurança da Folha Cursos, Thaianne Moraes, acordava mais cedo, antes do trabalho, para estudar.

Não porque gostava de levantar de madrugada ou porque se dava melhor com esse horário.

Seu motivo era que ela sabia que, se saísse da cama de madrugada e se colocasse a estudar, não seria demandada por amigos, família ou trabalho, já que esse horário todos estariam dormindo.

Ou seja, ela precisou fazer um sacrifício ao abrir mão de acordar em uma hora mais confortável, para levantar mais cedo e se dedicar aos estudo.

2# Treinos, treinos e mais treinos!

Algumas competições duram horas. Outras, segundos. Outra semelhança entre as olimpíadas e os concursos públicos é que a preparação toma muito mais tempo do que o dia de colocar tudo aquilo em prática.

Por trás de cada atleta olímpico existem horas de muito treino. O mesmo vale para o futuro servidor. Chegar ali é uma consequência de um estudo bem planejado, com muito foco no objetivo final.

O diretor acadêmico da Folha Dirigida, recomenda ao menos quatro sessões de estudo de uma hora cada para quem precisa conciliar o trabalho com os estudos e seis sessões para aqueles que têm a possibilidade de se dedicar apenas à preparação para concursos.

olimpíadas e concursos públicos

3# Treinar independente das adversidades

Assim como as outras pessoas, os atletas também têm uma vida fora do esporte. Em outras palavras, eles também têm família, amigos, relacionamentos românticos e problemas que, muitas vezes, tiram o sono e tornam mais difícil se concentrar em outras atividades.

No entanto, eles também precisam deixar suas questões um pouco de lado na hora da prática. Claro que tem problemas que requerem completa atenção e exigem maior atenção, como saúde, um falecimento de um ente querido ou uma doença.

Mas, no dia a dia, outras questões podem invadir nossa mente e nos impedir de cumprir nossas obrigações.

Por isso, é preciso saber ter foco e concentração para que aquelas horas do seu dia que você está sacrificando em prol de um objetivo, sejam de fato eficientes e te ajudem a alcançá-lo com maios rapidez.

Além disso, se você tem dificuldade de se concentrar, técnicas de meditação e mindfulness podem ajudar a manter o foco como é necessário. Outras práticas como estudar em uma ambiente tranquilo e com poucas distrações, longe do celular, também acrescentam muito à rotina.

Acompanhe as aulas em nosso canal com mais dicas para concursos

4# A derrota faz parte do processo

Em todas as competições, de modalidades individuais e coletivas, a final só tem três lugares no pódio. Todas as outras delegações também se esforçaram para estar ali, mas apenas três sairão com uma medalha no peito.

Isso não significa que é o fim de suas carreiras ou que nunca mais ganharão uma competição. Pelo contrário. A derrota significa olhar para si e reconhecer os erros e fraquezas para melhorar para a próxima oportunidade.

O mesmo vale para quem está se preparando para concursos públicos. É normal não ser aprovado de primeira. Assim como nas Olimpíadas, nos concursos públicos é importante olhar para a sua preparação, identificar seus pontos fortes e fracos e nunca desistir de tentar.

5# Uma hora a vitória vem

Por trás de cada vitorioso existe uma jornada de muito esforço e sacrifícios. Isso se reflete em cada lágrima que os atletas choram quando chega no pódio, porque só eles sabem tudo que precisaram fazer para chegar até ali.

Sem dúvida, além dos treinos árduos, eles também receberam muitos nãos. Mas o importante foi que eles não desistiram na hora da dificuldade, o que lhes permitiu chegar ali.

O mesmo acontecerá com você, futuro servidor. Os seus esforços compensaram. Só que, em vez de no formato de uma medalha, será na sua nomeação no cargo dos seus sonhos.

Lembrou de alguma outra semelhança entre olimpíadas e concursos públicos? Conta pra gente nos comentários!

Folha Cursos

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Que incrivel, estou estudando muito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *